Nota Pública Pela não intervenção, pela paz e em defesa da vida na Venezuela

26 de fevereiro de 2019

As entidades abaixo nominadas, como as demais forças democráticas da Nação brasileira, assiste, com grande preocupação, a escalada de violência contra o povo da Venezuela, país que foi inserido na arena da disputa das grandes potências, especialmente no governo de Donald Trump, pelo controle das suas enormes reservas de petróleo, com sérias consequências para toda a América Latina.

 

Nota Pública

Pela não intervenção, pela paz e em defesa da vida na Venezuela

As entidades abaixo nominadas, como as demais forças democráticas da Nação brasileira, assiste, com grande preocupação, a escalada de violência contra o povo da Venezuela, país que foi inserido na arena da disputa das grandes potências, especialmente no governo de Donald Trump, pelo controle das suas enormes reservas de petróleo, com sérias consequências para toda a América Latina.

O Brasil, neste grave momento, deve honrar a sua tradição pacifista e não-intervencionista, e  recusar-se a  respaldar ações ou tomar iniciativas que podem  atingir a segurança e  a vida dos brasileiros, e que firam os preceitos da Carta Magna e os seus fundamentos, como: a autodeterminação entre os povos, não-intervenção e prevalência dos Direitos Humanos; solução pacífica dos conflitos; cooperação entre os povos para o progresso da humanidade, e que podem  atingir a segurança e  a vida dos brasileiros. Entendemos que o governo atual não deve endossar as práticas intervencionistas dos Estados Unidos, dissimuladas como ajuda humanitária. Se, na realidade, houvesse este espírito humanitário levantariam os embargos que impuseram a este país e que respondem, em parte, pela atual situação de crise econômica.  A solução dos problemas com os quais se depara a Venezuela devem ser intermediados pela ONU e resolvidos mediante o diálogo entre os venezuelanos.

A iniciativa do presidente Jair Bolsonaro, divulgada em todas as mídias, de enviar  alimentos e remédios para a fronteira Brasil-Venezuela, endossando a estratégia agressiva americana, deve ser, de imediato, redirecionada para o atendimento de milhões de brasileiros situados na linha de miséria e que padecem por alimentação e sofrem nos assoalhos de hospitais e postos de saúde, precarizados, nas diversas regiões do país.

As entidades abaixo nominadas, se juntam às forças democráticas da Nação para reforçar as manifestações contra a intervenção armada na Venezuela e, sobretudo, contra qualquer envolvimento do Brasil nesta direção.

Pela Não-Intervenção! Pela Paz! Em defesa da  VIDA!

Assinatura

Associação Brasileira de Currículo (ABdC)

Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio)

Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (ABRAPEC)

Associação de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd)

Associação Nacional de História (ANPUH)

Associação Nacional de Pesquisadores em Financiamento da Educação (FINEDUCA)

Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (ANFOPE)

Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae)

Centro de Estudos Educação e Sociedade (CEDES)

Fórum Nacional de Diretores de Faculdades, Centros de Educação e equivalente das Universidades Públicas (FORUMDIR)

Movimento Nacional em Defesa do Ensino Médio