EDUCAÇÃO & SOCIEDADE

127 V.35 (Abr.-Jun. 2014)

Artigos ANÁLISE DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DEBATES & POLÊMICAS IMAGENS & PALAVRAS

Artigos

O legado da ditadura para a educação brasileira

Luiz Antônio Cunha

Dois são os vetores do legado da ditadura: a simbiose Estado-capital e a regeneração moral do indivíduo e da sociedade. O primeiro consistiu em programas de bolsas de estudos para alunos de baixa renda nas escolas privadas de ensino básico. E prossegue no ensino superior por meio doPrograma Universidade para Todos, desde 2005. Outro vetor consiste na atribuição à educação, principalmente à educação pública, de instrumento para regenerar indivíduos e a própria sociedade, que teriam perdido os valores básicos da sociabilidade, especialmente os valores morais do cristianismo. Essa ideologia teve na Escola Superior de Guerra a fonte da Educação Moral e Cívica. Vários projetos de lei pretendem sua retomada em padrões similares.

Palavras-chave : Ditadura e educação; Público e privado; Educação e moral.

A formação humana em debate

Sandra Soares Della Fonte

Este artigo aborda a questão da formação humana a partir do conflito entre formulações educacionais pós-críticas e críticas. De modo mais preciso, problematiza a perspectiva de formação humana das teorizações educacionais pós-críticas, ao mesmo tempo em que sinaliza um possível caminho a ser explorado e desenvolvido pela pedagogia histórico-crítica no enfrentamento das limitações que lhe são impostas. Conclui que a compreensão de omnilateralidade em Marx pode contribuir para inspirar formulações pedagógicas críticas na consolidação de uma concepção humana que supere, de um lado, tendências racionalistas ou cognitivistas e, de outro, perspectivas estetizantes.

Palavras-chave : Formação humana; Omnilateralidade; Marx; Pedagogia histórico-crítica; Teorias educacionais pós-críticas.

Educação, cidadania e agenciamentos formativos nas políticas culturais brasileiras

Rodrigo Manoel Dias da Silva

O presente artigo visa abordar as novas configurações das políticas culturais e algumas de suas implicações nas políticas e práticas educativas contemporâneas. No plano de uma análise sociológica, sobretudo ao considerar a hipótese do declínio da institucionalidade moderna da escola e reconhecer a ampliação e diversificação das políticas culturais, particularmente a partir da gestão Gilberto Gil, o autor pretende verificar os agenciamentos formativos que perfazem as ações e políticas culturais brasileiras. Considera, ainda, que tais agenciamentos redefinem as relações entre os atores e as instituições, tanto quanto são orientados por objetivos situados entre as expectativas de retorno social e de formação para a cidadania.

Palavras-chave : Políticas culturais; Agenciamentos; Educação; Cidadania.

Tendências das desigualdades de acesso ao ensino superior no Brasil: 1982-2010

Arnaldo Lopo Mont’Alvão Neto

Este trabalho analisa as tendências das desigualdades de acesso ao ensino superior no Brasil ao longo das últimas três décadas, período marcado por grande expansão do sistema de educação superior. São utilizadas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) e dos Censos Demográficos, a partir das quais modelos de regressão estimam as chances de estudantes que completaram o ensino médio chegarem ao ensino superior no país, em função das origens socioeconômicas, características sociodemográficas, estrutura familiar e diferenças regionais. Os principais resultados indicam queda das desigualdades de acesso, segundo nível educacional dos pais e diferenças raciais.

Palavras-chave : Ensino superior; Tendências; Desigualdades de acesso.

Pensamento e sociedade: contribuições ao debate sobre a experiência do Enem

Cintya Regina Ribeiro

O artigo problematiza os modos de enfrentamento das questões sobre opensamento em educação, a partir da experiência brasileira do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). Considerando a relevância política desse exame, sobretudo em relação às atuais condições de acesso ao ensino superior, tal prática efetiva-se simultaneamente como avaliativa e curricular. A partir de uma perspectiva teórica que afirma as implicações entre linguagem e poder, a análise fundamenta-se no pensamento de Friedrich Nietzsche e Michel Foucault, particularmente quanto à questão da produção de conhecimento e seus atuais efeitos frente à configuração do pensamento na sociedade. Apontamos que as discussões dos autores contribuem para o atual debate sobre a qualidade da educação básica e superior, pois incitam a problematização dos aspectos de recognição e performance presentes nessa prática educacional.

Palavras-chave : Enem; Pensamento; Recognição; Performance; Currículo.

Descolonizando as pesquisas com crianças e três obstáculos

Anete Abramowicz & Tatiane Cosentino Rodrigues

Este artigo debate as possibilidades de descolonizar pesquisas com crianças, por meio de um entendimento de infância compreendida como experiência social e individual singular, que descentralize, ou faça fugir os modelos e lugares hegemônicos que centralizam sentidos, norma, estética e saúde dominantes e que se constitua para além da lógica do capital. Inicia-se o debate sobre a infância como um dispositivo do poder que se impõe a cada criança de maneira universal e única. Depois, afirma-se a positividade da infância como experiência única de entrada na linguagem e de constituir história e como pensamento crítico, tomando Giorgio Agamben e René Schérer como interlocutores. Ao final, indicam-se três obstáculos para a realização de pesquisas descolonizadas com crianças e os temas que necessariamente fazem parte da temática pós-colonial como raça, gênero, etnia, Estado-nação e diáspora, a partir das autoras Judith Butler, Gayatri Spivak e Avtar Brah.

Palavras-chave : Infância; Pesquisa com crianças; Pensamento Crítico; Estudos Pós-Coloniais.

A educação progressiva como alternativa: as vozes dos educadores

Maria Luísa Branco

A partir de um estudo conduzido mediante a realização de entrevistas semiestruturadas a seis educadoras que trabalham ou trabalharam em escolas progressivas na cidade de Nova Iorque, exploraremos neste texto algumas das propostas que fazem da educação progressiva uma alternativa credível para a implementação de uma educação democrática, em oposição ao atual quadro neoliberal vigente nos Estados Unidos da América. Com base no tratamento das entrevistas feita com recurso a uma análise temática, é possível concluir que a educação progressiva se baseia na organização de uma aprendizagem integral que tem em conta a realidade dos alunos e que fortalece a partilha de conhecimentos e responsabilidades, favorecendo a aquisição de uma visão crítica e da capacidade de intervir no meio envolvente.

Palavras-chave : Educação progressiva; Educação democrática; Justiça social; Prestação de contas.

Modos de regulação institucional da investigação educacional: o caso do Instituto de Inovação Educacional

Sofia Viseu

Este artigo apresenta um estudo empírico ilustrativo da evolução dos modos de regulação das políticas públicas de ciência, atualmente marcadas pelo progressivo aumento do controlo externo da atividade científica. Centrando-se na ação de um instituto público que operou em Portugal entre 1989 e 2001, o estudo analisa modos de regulação institucional, i.e., como o Estado procurou orientar e influenciar a investigação educacional através de uma estrutura vocacionada para a produção de conhecimento útil à decisão política. Para além destes modos de regulação, o estudo identificou outros, resultantes da forma como essas orientações foram apropriadas pelos investigadores e reinterpretadas pelos decisores políticos, dando conta da complexidade das políticas públicas de ciência.

Palavras-chave : Pesquisa; Regulação; Instituto de Inovação Educacional.

ANÁLISE DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

Memorias escolares en contextos de crisis: reflexiones educativas sobre momentos significativos de la historia Argentina en el contexto del bicentenario

José Alberto Tranier

El presente artículo intentará llevar adelante una revisación crítica de ciertos momentos claves que incidieron en el rumbo y accionar de la vida pedagógica y educativa en nuestro país. Para tal fin, habremos de trabajar a partir de algunos relatos actuales provenientes de personas que transitaron diferentes momentos de nuestra historia en la escuela primaria: bajo la dictadura de la década del 1970; bajo el primer gobierno peronista; y tras la crisis del 2001. De esta manera, relatos y memorias mediarán de hilo conductor de nuestra trama argumentativa haciendo especial referencia en primer lugar a la educación y la dictadura; en segundo, a la escuela y el Peronismo, para luego finalizar haciendo alusión a la educación y la crisis del 2001; ya que, algo que quizá podamos ir adelantando, es que el núcleo fuerte común de todos aquellos relatos es que, aún al día de hoy, se resisten a estar ausentes o caer en el olvido.

Palavras-chave : Memorias; Relatos; Escuela; Historia; Crisis.

Proceso de reconocimiento del alumno problema como legítimo otro de escuelas vulnerables

Luis Ajagan, Abelardo Castro, Alejandro Díaz & Catherine Alarcón

El presente artículo intentará llevar adelante una revisación crítica de ciertos momentos claves que incidieron en el rumbo y accionar de la vida pedagógica y educativa en nuestro país. Para tal fin, habremos de trabajar a partir de algunos relatos actuales provenientes de personas que transitaron diferentes momentos de nuestra historia en la escuela primaria: bajo la dictadura de la década del 1970; bajo el primer gobierno peronista; y tras la crisis del 2001. De esta manera, relatos y memorias mediarán de hilo conductor de nuestra trama argumentativa haciendo especial referencia en primer lugar a la educación y la dictadura; en segundo, a la escuela y el Peronismo, para luego finalizar haciendo alusión a la educación y la crisis del 2001; ya que, algo que quizá podamos ir adelantando, es que el núcleo fuerte común de todos aquellos relatos es que, aún al día de hoy, se resisten a estar ausentes o caer en el olvido.

Palabras claves: Memorias. Relatos. Escuela. Historia. Crisis.

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

A formação de educadores na educação não formal pública

Nadia Fuhrmann & Fernanda dos Santos Paulo

O artigo se ocupa da discussão sobre a educação não formal no Brasil contemporâneo. Como subsídios, toma dados de uma pesquisa realizada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul sobre o Programa de Apoio Socioeducativo (Sase) e de experiências empíricas da Associação dos Educadores Populares de Porto Alegre (Aeppa), como entidade de formação de educadores populares. Os resultados demonstram que o programa socioeducativo público usa um modelo de ensino-aprendizagem híbrido entre a pedagogia e a assistência social, com lacunas quanto à sistematização e avaliação das atividades, aos conteúdos e à formação dos profissionais que nele atuam.

Palavras-chave : Educação não formal; Formação de educadores; Sase; Aeppa.

DEBATES & POLÊMICAS

Educación basada en competencias: hacia una pedagogía sin dicotomías

Jorge Alarcón Leiva, Brianna Hill & Claudio Frites

El artículo examina una comprensión de la noción educativa de "competencias" desde una perspectiva que cabría designar como su justificación. Se abordan tres tópicos centrales. En primer lugar, se caracteriza la competencia lingüística como paradigma explicativo de la noción de "competencia". En segundo lugar, se ensayan tres acercamientos a la educación por competencias, a partir de una comparación con la pedagogía por objetivos, desde su evolución histórica y finalmente desde una perspectiva conceptual, dando cuenta de la necesidad de una pedagogía "sin dicotomías". Se concluye examinando algunas descripciones de la noción educativa de competencia para subrayar su comprensión como "inteligencia de la situación", con el fin de discutir sus sentidos y alcances apelando al marco de referencia conceptual derivado del examen de la competencia lingüística.

Palabras clave: Educación basada en competencias. Integración. Competencia lingüística. Gestión. Currículo.

Exigências de produtividade na escola e no trabalho e o consumo de metilfenidato

Tales Renato Ferreira Carvalho, Luiz Carlos Brant & Marilene Barros de Melo

Este artigo é um ensaio teórico que apresenta diferentes estudos abordando as condições de produção do diagnóstico do Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) e a eleição do metilfenidato como principal terapêutica. Analisou-se o consumo e utilização do medicamento como dispositivo de produtividade, descrevendo as tendências comuns de transgressão do seu uso. Discutiram-se as controvérsias que permeiam o diagnóstico de TDAH e o abuso do metilfenidato como sintoma da sociedade pós-industrial. Concluiu-se que o não cumprimento das exigências de bom desempenho na escola e no trabalho tem contribuído para a configuração do diagnóstico de TDAH. Nesse contexto, ocorre a busca pelo fármaco como estratégia para melhorar o desempenho cognitivo.

Palavras-chave: Educação. Trabalho. Medicalização social. TDAH. Metilfenidato.

IMAGENS & PALAVRAS

O cinema, a educação e a construção de um imaginário social contemporâneo

Maria da Conceição Francisca Pires & Sergio Luiz Pereira da Silva

A partir das contribuições filosóficas sobre o cinema e sua interferência na construção de imaginários sociais coletivos, buscamos nesse artigo desenvolver uma reflexão sobre o uso didático do cinema. A partir da constatação da necessidade do desenvolvimento de uma análise visual crítica das imagens, discutimos as possibilidades existentes para a efetivação dessa mirada crítica e como esta pode contribuir de forma significativa para a promoção de uma ação pedagógica antenada com as questões referentes ao sujeito contemporâneo e suas subjetivações.

Palavras-chave: Educação. Cinema. Análise visual crítica. Imagens. Imaginário.