Mesa redonda 4

Distribuição de oportunidades e condicionantes do acesso à escola pública de qualidade no espaço rural

Convidados:

Moderador:

Fabiana Rodrigues (UNIVAS) Lattes


Palestrante1: Roseli Salete Caldart (Instituto EDUCAMPO)

A Educação do Campo e o momento atual das lutas dos trabalhadores camponeses por uma “escola pública de qualidade

 

Resumo

A exposição será desenvolvida em torno de três pontos/tópicos articulados: 1º) Elementos do percurso histórico da Educação do Campo como luta pelo direito à educação dos trabalhadores do campo e construção de uma chave teórica de análise da realidade educacional, na relação entre específico e geral, particular e universal.  2º) Momento atual de avanço (regressivo-destrutivo) da lógica de produção capitalista na agricultura e os determinantes fundamentais do acesso dos trabalhadores à escola pública na realidade brasileira. Fechamento de escolas e retorno da “educação rural”, atualizada pelas demandas de reprodução do capital e acompanhando as tendências gerais da política educacional. 3º) Lutas de resistência camponesa, projeção de outra lógica de trabalho no campo e suas novas exigências educativas. O lugar da escola pública nesse confronto de matrizes formativas: conteúdo e forma das lutas e construção de “acesso” e “qualidade”


Palestrante2: Salomão Antônio Mufarrej Hage – UFPA

Transgressão do Paradigma da (multi)seriação como referência para a construção da Escola Pública do Campo

 

Resumo

O artigo analisa a realidade das escolas públicas do campo, inserindo suas particularidades nos desafios mais abrangentes que enfrentam os movimentos sociais populares do campo para assegurar o direito à universalização da Educação Básica, com qualidade socialmente referenciada e afirmativa da diversidade sociocultural e territorial que constitui o campo no Brasil. Ele socializa os resultados dos estudos realizados pelo Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia – GEPERUAZ sobre a realidade das escolas rurais com turmas multisseriadas, considerando o paradoxo existente entre o abandono e a precarização que caracteriza em grande medida as condições de existência dessas escolas e as ações criativas realizadas pelos professores e estudantes no cotidiano escolar que desafiam as condições adversas nelas vivenciadas, indicando referências para a transgressão do paradigma seriado urbano de ensino, atualmente hegemônico nessas escolas.


Palestrante3: Maria do Socorro da Silva - UFCG

Distribuição de Oportunidades e condicionantes do acesso à escola pública de qualidade no espaço o rural

 

Resumo  

Esta apresentação trata das relações entre os problemas de acesso, permanência e qualidade da escola pública localizada no espaço rural e as mudanças ocorridas nas políticas educacionais nos últimos anos. A emergência de um conjunto de normas específicas para a Educação do Campo traz mudanças no marco jurídico do país, numa perspectiva de reconhecimento do direito dos Povos do Campo à Educação Básica com qualidade social e de uma educação contextualizada a sua realidade. O Movimento da Educação do Campo, em seu processo de mobilização pela afirmação e fortalecimento das práticas pedagógicas das Escolas do Campo, instiga as políticas públicas, a compreenderem o campo como um espaço emancipatório, como um território fecundo de construção da democracia e da solidariedade, e de lutas pelo direito à terra, às águas, a floresta, à soberania alimentar, à saúde, à educação, ao meio-ambiente sustentável, enfim, um lugar de direitos, e portanto, de maior distribuição de oportunidades e acesso a uma escola de qualidade.

 

Currículo Resumido

 

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Estadual da Paraíba (1984), graduação em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba (1987), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (2000) e doutorado em Educação pela UFPE. Professora da Universidade Federal de Campina Grande lotada no Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido na Unidade Acadêmica de Educação do Campo. Coordenadora da Licenciatura em Educação do Campo. Membro do Fórum Nacional da Educação do Campo e do Comitê Estadual de Educação do Campo da Paraíba. Membro da Executiva da Rede de Educação Contextualizada do Semiárido e do Conselho Editorial do Caderno Multidisciplinar da RESAB. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação do Campo, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, práticas pedagógicas, políticas educacionais, processos educativos nos movimentos sociais e Educação de Jovens e Adultos. Tem experiência com a construção da Licenciatura em Educação do Campo – Procampo/MEC/SECADI; no Programa Saberes da Terra- MEC e na educação popular realizando assessoria aos movimentos sociais e organizações comunitárias do campo como Movimento de Organização Comunitária – MOC/BA; Serviço de Tecnologia Alternativa – SERTa/PE, com as Escolas Famílias Agrícolas /UNEFAB e com a Escola Nacional de Formação da CONTAG.